Com certo atraso terminei a 4ª temporada de La Casa de Papel. Apesar de ter tomado um grande spoiler (aquela morte), ainda assim não tive a experiência estragada.

A temporada começa morna. O Professor tendo que se virar com o sumiço de Lisboa e a equipe com Nairóbi que foi baleada. O ritmo desses primeiros episódios é meio lento. Porém o desenvolvimento do Marsella junto com o Professor, fazem valer a pena. No quarto ano a série ainda evolui muito bem seus personagens.

Gandía, o vilão dessa temporada, acaba mudando um pouco a dinâmica da série. os tiroteios e embates entre os personagens voltam a acelerar o ritmo dos episódios. A vilã Alicia Sierra que deu muito trabalho para o Professor passa boa parte da temporada apagada e correndo atrás do prejuízo. Porém, os conflitos são resolvidos com mais planos mirabolantes do Professor, voltando a repetir a formula dos anos anteriores.

Os rumos que a série tomou nos últimos episódios mostrou coragem ao matar um dos personagens principais, um dos mais carismáticos ainda. Apesar de ter certo hate entre os fãs da série, a decisão foi acertada, o show não pode ficar com medo da plateia. A grande decepção foi a Tóquio, a personagem não evolui um milimetro durante toda a temporada.

A temporada se encerra com um cliffhanger que deve mudar toda a estrutura do ano 5. A série que já foi assistida por mais de 65 milhões de pessoas na Netflix, precisa de novidades. Com uma nova vilã inteligente e sem escrúpulos, a fuga da equipe parece cada vez mais difícil. Aguardamos a 5ª temporada para ver o quanto que a Netflix consegue espremer de La Casa de Papel, antes que a série acabe se perdendo.